ARQUIVO

Papel do níquel na nodulação e produtividade da soja

Fonte: André Reis

O níquel (Ni) é um elemento essencial para o crescimento das plantas e desempenha um papel importante no metabolismo do nitrogênio e na fixação biológica do nitrogênio (FBN) de plantas de soja (Reis et al., 2017; Freitas et al., 2018). Devido ao alto teor de óleo e proteína das sementes, as plantas de soja demandam grandes quantidades de nitrogênio (N), obtidas principalmente da FBN (Sinclair e De Wit, 1975; Diers et al., 1992), que ocorre desde os estágios vegetativos iniciais até o final do período de enchimento de sementes (Salvagiotti et al., 2008; Cafaro La Menza et al., 2020). Assim, melhorias na FBN podem ajudar a aumentar a produção de soja em todo o mundo (Keyser e Li, 1992).

Neste contexto, existem duas metaloenzimas dependentes de Ni: a [Ni-Fe]-hidrogenase e a urease. O fornecimento de Ni desempenha um papel na regulação da expressão da síntese de hidrogenase em Bradyrhizobium sp. de vida livre, responsável pela reciclagem de H2 produzido por uma reação lateral da nitrogenase, aumentando a eficiência da fixação de N (Dixon, 1972; Bagyinka 2014). A urease é responsável pela hidrólise da ureia em duas moléculas de amônia e uma de dióxido de carbono (Dixon et al., 1975; Witte, 2011). A atividade da urease depende da ligação com o Ni por meio de duas proteínas acessórias codificadas pelos genes Eu2 e Eu3 em plantas de soja. Um mutante nulo para o gene Eu3 foi caracterizado (Freyermuth et al., 2000), resultando em um mutante eu3-a sem atividade de urease (Tezotto et al., 2016).

A deficiência de Ni e a baixa atividade da urease podem afetar o metabolismo do N e levar ao acúmulo de níveis tóxicos de ureia nas folhas, prejudicando o crescimento e o rendimento das plantas (Brown et al., 1987). Além disso, foi relatado que a urease também pode interferir nos sinais quimiotácticos desencadeados por plantas de soja na rizosfera, demonstrando a multifuncionalidade dessa enzima (Medeiros-Silva et al., 2014).

Descobertas recentes no Brasil demonstraram que cultivares modernas de soja podem apresentar deficiência latente de Ni em condições de campo (Freitas et al., 2018). Além disso, Freitas et al. (2019) mostraram que a fertilização com Ni aumenta a atividade da urease, as taxas fotossintéticas, nodulação, concentração de ureídeos e produtividade das plantas de soja. Os autores concluíram que a fertilização com Ni a 3 mg dm-3 foi uma concentração ideal para melhorar o rendimento de sementes e a nodulação. Da mesma forma, Singh e Rao (1997) relataram um efeito estimulante do Ni no crescimento bacteriano e vegetal, na nodulação, na atividade da nitrogenase e na modificação da população microbiana no ecossistema do solo. No entanto, em ambos os estudos, não ficou claro como a fertilização com Ni promoveu aumento no número de nódulos por planta, o que pode estar relacionado à quimiotaxia.

A quimiotaxia entre raízes de leguminosas e bactérias depende da exsudação de açúcares, aminoácidos e ácidos orgânicos pelas raízes das plantas na rizosfera. A secreção de raízes de isoflavonoides atua como indutores para os genes nod em rizóbios (Matsuda et al., 2020). Em plantas de leguminosas, os principais flavonoides encontrados são do grupo dos isoflavonoides, conhecidos como daidzeína e genisteína, que ativam a expressão dos genes Nod em rizóbios responsáveis pela síntese e exsudação dos fatores Nod (Silva et al., 2024), que são lipo-oligossacarídeos responsáveis por induzir uma série de mudanças fisiológicas nas células vegetais, resultando na infecção de raízes e organogênese de nódulos como ilustrado na Figura 1 (Bosse et al., 2021).

Bosse et al. (2024) propõe que a fertilização com Ni aumenta os isoflavonoides radiculares (daidzeína), controlando a quimiotaxia e nodulação das plantas de soja. Os autores caracterizaram o efeito da fertilização com Ni na atividade da urease, no perfil de flavonoides de raízes e nódulos e sua relação com a nodulação, metabolismo de ureídeos e rendimento de sementes. A fertilização com Ni promoveu maior nodulação, correspondendo a um aumento de 20,80% em comparação com as plantas não tratadas. A maior produção de nódulos ativos resulta na maior biossíntese de ureídeos.

Freitas et al. (2019) demonstraram os efeitos positivos do Ni na FBN por meio do aumento da atividade da nitrogenase e da concentração de ureídeos. Os ureídeos são os produtos finais do N2 fixado em leguminosas e podem representar mais de 90% do N total transportado na seiva do xilema em plantas de leguminosas tropicais, como a soja (Baral et al., 2016). Além disso, é descrito na literatura que baixas doses de Ni podem melhorar a FBN, uma vez que o Ni atua como componente estrutural da hidrogenase presente no bacteróide, uma enzima responsável pela oxidação do H2, cujo processo resulta em ATP necessário pela nitrogenase para reduzir o N2 em amônia (Lavres et al., 2016).

Figura 1. Papel fisiológico do Ni na produção de daidzeína e aumento nodulação e produção de ureídos em soja. Fonte: Bosse et al. (2024).

Bagyinka C (2014) How does the ([NiFe]) hydrogenase enzyme work? Int J Hydrogen Energy. https://doi.org/10.1016/j.ijhydene.2014.07.009

Baral B, Teixeira da Silva JA, Izaguirre-Mayoral ML (2016) Early signaling, synthesis, transport and metabolism of ureides. J Plant Physiol 193:97–109.

Bosse MA, Silva MB da, Oliveira NGRM de, et al (2021) Physiological impact of flavonoids on nodulation and ureide metabolism in legume plants. Plant Physiol Biochem 166:512–521. https://doi.org/10.1016/j.plaphy.2021.06.007

Bosse, M. A., de Carvalho Mendes, N. A., Vicente, E. F., Tezotto, T., & dos Reis, A. R. (2024). Nickel enhances daidzein biosynthesis in roots increasing nodulation, biological nitrogen fixation and seed yield of soybean plants. Environmental and Experimental Botany, 105685.

Brown PH, Welch RM, Cary EE (1987) Nickel: A Micronutrient Essential for Higher Plants. Plant Physiol 85:801–803. https://doi.org/10.1104/pp.85.3.801

Cafaro La Menza N, Monzon JP, Lindquist JL, et al (2020) Insufficient nitrogen supply from symbiotic fixation reduces seasonal crop growth and nitrogen mobilization to seed in highly productive soybean crops. Plant Cell Environ 43:1958–1972. https://doi.org/10.1111/pce.13804

Diers BW, Keim P, Fehr WR, Shoemaker RC (1992) RFLP analysis of soybean seed protein and oil content. Theor Appl Genet 83:608–612.

Dixon ROD (1972) Hydrogenase in legume root nodule bacteroids: Occurrence and properties. Arch Mikrobiol 85:193–201. https://doi.org/10.1007/BF00408844

Freitas DS, Wurr Rodak B, dos Reis A, et al (2018) Hidden nickel deficiency? Nickel fertilization via soil improves nitrogen metabolism and grain yield in soybean genotypes. Front Plant Sci 9:1–16. https://doi.org/10.3389/fpls.2018.00614

Freitas DS, Rodak BW, Carneiro MAC, Guilherme LRG (2019) How does Ni fertilization affect a responsive soybean genotype? A dose study. Plant Soil 441:567–586. https://doi.org/10.1007/s11104-019-04146-2

Freyermuth SK, Bacanamwo M, Polacco JC (2000) The soybean Eu3 gene encodes an Ni-binding protein necessary for urease activity. Plant J 21:53–60.

Keyser HH, Li F (1992) Potential for increasing biological nitrogen fixation in soybean. In: Ladha, J.K., George, T., Bohlool BB (ed) Biological Nitrogen Fixation for Sustainable Agriculture, 49th edn. pp 119–135

Lavres J, Franco GC, de Sousa Câmara GM (2016) Soybean seed treatment with nickel improves biological nitrogen fixation and urease activity. Front Environ Sci 4:1–11. https://doi.org/10.3389/fenvs.2016.00037

Matsuda H, Nakayasu M, Aoki Y, et al (2020) Diurnal metabolic regulation of isoflavones and soyasaponins in soybean roots. bioRxiv.

Medeiros-Silva M, Franck WL, Borba MP, et al (2014) Soybean ureases, but not that of bradyrhizobium japonicum, are involved in the process of soybean root nodulation. J Agric Food Chem 62:3517–3524. https://doi.org/10.1021/jf5000612

Reis AR dos, de Queiroz Barcelos JP, de Souza Osório CRW, et al (2017) A glimpse into the physiological, biochemical and nutritional status of soybean plants under Ni-stress conditions. Environ Exp Bot 144:76–87.

Salvagiotti F, Cassman KG, Specht JE, et al (2008) Nitrogen uptake, fixation and response to fertilizer N in soybeans: A review. F Crop Res 108:1–13.

Sinclair TR, De Wit CT (1975) Photosynthate and nitrogen requirements for seed production by various crops. Science (80- ) 189:565–567.

Silva, V. M., Lui, A. C. W., de Carvalho, M. R., Namorato, F. A., Fei, Z., dos Reis, A. R., Li, L. (2024). The selenium-promoted daidzein production contributes to its induced nodulation in soybean plants. Environmental and Experimental Botany, 218, 105591.

Singh RK, Rao PJM (1997) Biological significance of nickel on the nitrogen fixing ability of cowpea Bradyrhizobium. J Plant Nutr 20:1449–1455.

Tezotto, T., Souza, S. C. R., Mihail, J., Favarin, J. L., Mazzafera, P., Bilyeu, K., & Polacco, J. C. (2016). Deletion of the single UreG urease activation gene in soybean NIL lines: characterization and pleiotropic effects. Theoretical and Experimental Plant Physiology, 28, 307-320.

Witte CP (2011) Urea metabolism in plants. Plant Sci 180:431–438. https://doi.org/10.1016/j.plantsci.2010.11.010

Texto escrito por:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 − três =